Startups de mobilidade são destaques do Brasil no exterior

Para consultoria americana, três empresas brasileiras devem valer 1 bilhão em breve. 

O Brasil já produziu cinco startups unicórnios, empreendimentos avaliados em mais de 1 bilhão de dólares: o Nubank, maior banco digital fora da Ásia, a 99, aplicativo de carros compartilhados e táxis, o PagSeguro e a Stone, ambos especializados em pagamentos e a Movile, dona do iFood.

As unicórnios são o sonho de qualquer empreendedor, mas para chegar a tal ponto precisam encontrar um mercado fértil para seus serviços e ter uma solução inovadora.

Por isso, o caminho até a tão sonhada valuation de $1 bi pode demorar. No Brasil, segundo a consultoria CB Insights no jornal The New York Times, três startups podem ser as próximas unicórnios, e duas delas estão no ramo da mobilidade.

O setor, responsável por nos dar uma das primeiras unicórnios, é abundante no país por carecer de soluções específicas, devido aos problemas estruturais que o Brasil tem na área.

Para a CB Insights a Grow, empresa formada na junção da mexicana Grin, de patinetes elétricos, e a brasileira Yellow, de bicicletas compartilhadas sem estações, é uma das fortes concorrente à unicórnio.

Desde a fusão, em janeiro deste ano, a Grow passa a contar com amplos mercados – os maiores da América Latina – e um acumulado de mais de 135 mil equipamentos, entre bicicletas e patinetes.

Os serviços de compartilhamento da empresa ajudam consumidores em sua última milha, percurso final entre o destino e o ponto de descida do transporte público.

Recentemente, inclusive, a prefeitura de São Paulo soltou um decreto que favorece o uso de créditos do Bilhete Único em modais alternativos, o que pode favorecer o acesso as bicicletas e patinetes e trazer um enorme público desbancarizado à Grow.

A segunda startup no ramo de mobilidade aspirante à unicórnio é a CargoX, que conecta motoristas de caminho a empresas. A startup aproveita-se de um problema crônico de logística no Brasil: muitos motoristas voltam de suas entregas vazios, o que diminui e muito a lucratividade de cada entrega.

Para termos uma ideia, 80% das mercadorias são transitadas por caminhões no país, e  em até 43% dessas viagens os caminhões estão sem carga.

A CargoX, então, vem para otimizar e solucionar esse problema. Hoje conta com mais de 250 mil caminhoneiros e usa os dados que levanta para oferecer rotas mais seguras e tornando as viagens mais assertivas.

Confira a lista completa das 50 startups que podem virar unicórnio em breve no The New York Times.

A terceiras statup brasileira que pode virar uma unicórnio e não está no ramo de mobilidade é a QuintoAndar, especializada no aluguel de imóveis sem fiador e via internet.

Marcos Antonio Moreira
Editor de redação do Agora é Simples. Analista de Marketing na OnBoard Mobility. Mobilidade é uma de minhas paixões, compartilho aqui os melhores insights que encontro sobre o assunto. Me escreva: marcos@agoraesimples.com.br