Eleições 2020, estrutura do transporte & mais – Não durma no ponto!

As principais notícias da última semana em uma leitura rápida e informativa. Comece a semana conectado no mundo. Não durma no ponto!

Já faz mais de uma semana que não nos vemos, aconteceu tanta coisa! A mais importante que venho anunciar é o início das eleições.

Para fins de informação, lembramos que o primeiro turno será no dia 15 de novembro de 2020. Nos locais em que houver segundo turno, o evento ocorrerá no dia 29 de novembro.

Assim, lembrando também que o transporte é um direito previsto na Constituição Federal e um serviço garantido pelo poder público, este se torna pauta primordial para o desenvolvimento das cidades e, consequentemente, deve estar presente no plano de governo de candidatos à Prefeitura.

Se você ainda não sabe o que seu candidato ou candidata prevê para o transporte público no mandato 2021-2024, a Redação do Agora é Simples fez uma análise exclusiva sobre as propostas para os municípios de São Paulo e Belo Horizonte. Confira:

Pensar na melhoria do transporte público é pensar na estrutura em que ele funciona

Seguindo na mesma linha de raciocínio, para propor a melhoria do sistema de transporte público, deve-se saber como este é subdividido. Para isso, nosso colunista parceiro Rafael Pereira começa sua série de artigos abordando os modos e tipos de linhas de transporte existentes. Saiba mais.

Mesmo sabendo como o transporte funciona, existem alguns pequenos pontos para não transformá-lo em um desserviço

Dentre todas as necessidades que o transporte público enfrenta, existem 6 pontos essenciais que devem ser considerados para o entendimento do sistema e podem auxiliar para a melhoria em sua eficiência e gestão.

O gestor executivo do transporte público, Miguel Pricinote, compartilha com a gente quais são esses principais pontos aqui.

Pesquisa aponta qual o principal impedimento para usar o transporte público hoje

A gente já sabe que o transporte público vem enfrentando uma evasão muito grande de passageiros conforme os anos passam. Conjuntamente, a pandemia enalteceu essa e outras dificuldade que o transporte enfrenta.

Mais de um terço da população brasileira começou a trabalhar em casa, no modelo home office – e ainda há tendência para que isto se torne definitivo nos próximos anos.

Além disso, as pessoas começaram a ficar com medo de andar de ônibus e acabar contraindo o novo coronavírus – embora já falamos aqui que o transporte não é vetor do vírus, o problema é a lotação (em decorrência da má gestão).

Uma pesquisa realizada em São Paulo, em parceira com o Ibope Inteligência, identifica tendências e dados fidedignos sobre os deslocamentos da população de São Paulo. Estes podem ser utilizados para formação de novas políticas e melhoria na gestão do sistema de transporte. Saiba quais são.

Bom, e esse é o ponto final.

Nos vemos na próxima segunda!

Powered by Rock Convert
 

Larissa Belinazi

Estagiária na ONBOARD. Estudante de engenharia apaixonada por marketing de conteúdo.

Deixe uma resposta