Governos estaduais fomentam o uso de serviços digitais

São Paulo e Rio de Janeiro utilizam PicPay e QR Code para otimizar processos em meio à pandemia

Aplicativos facilitam processos para transferência de auxílios.

Em São Paulo, o governo pagará auxílio merenda aos estudantes da rede estadual através do aplicativo PicPay, um aplicativo de carteira digital simples que apresenta uma política de segurança eficaz. Serão 732 mil estudantes contemplados que poderão receber o auxílio sem precisar sair de casa, de forma fácil e rápida.

O aplicativo foi escolhido pelo fato do processo de pagamento ser facilitado através de poucos toques. Responsáveis pelos estudantes deverão baixar o aplicativo em seus celulares e realizar o cadastro, inserindo nome, data de nascimento, foto do rosto e de um documento, não se esquecendo do número de CPF, pois este será o meio de identificar e destinar o auxílio aos beneficiários.

No entanto, é notável que, para muitas pessoas, o aplicativo será uma novidade. Em janeiro deste ano, o app apresentava uma carteira de 14 milhões de clientes, sendo 3,9 milhões ativos. Com essa iniciativa, estimam a criação de mais 500 mil contas.

O auxílio recebido poderá ser sacado em caixas eletrônicos ou transferência para contas bancárias, sem cobrança de taxas. Ou ainda, utilizado dentro da própria plataforma, podendo ser utilizado para compras em estabelecimentos credenciados, recarga de celular, bilhete único, entre outros.

Pesquisa realizada em 2019 pelo Instituto Locomotiva, revela que 29% dos brasileiros são desbancarizados, ou seja, não movimentam a conta bancária há mais de seis meses ou optaram por não ter conta em banco. Destes, 86% estão concentrados nas classes econômicas C, D e E, a parcela da população menos conectada e com maior informalidade de trabalho. Assim, a iniciativa do governo, intitulada “Merenda em Casa” será a introdução de uma parcela da população aos serviços de carteiras digitais, alternativa viável para popularização de serviços financeiros.

Outra iniciativa no mesmo sentido é a do governo do Rio de Janeiro, onde serão distribuídas cestas básicas para 940 mil famílias cadastradas no Cadastro Único do Bolsa Família, as quais receberão dois SMS, um identificando a contemplação do benefício e outro indicando o dia, hora e local da entrega juntamente com o código de identificação QR Code.

O QR Code é um código que armazena informações e, QR significa “Quick Response”, ou seja, código de resposta rápida. Apresentam capacidade de leitura de alta velocidade, em qualquer direção, podendo ser realizada por celulares com câmera digital. Além disso, sua segurança é criptografada, o que garante maior proteção de dados inseridos.

No caso da iniciativa do governo estadual, as informações cadastradas no código serão de caráter de identificação pessoal para que, no dia da entrega, os beneficiários apresentem o QR Code e, de forma rápida, o sistema identifique-o e automaticamente confirme o seu recebimento, evitando qualquer tipo de fraude ou identificação errônea.

Embora as vantagens do uso de QR Code sejam várias, nota-se uma baixa popularidade à essa tendência. A partir de uma análise dos últimos cinco anos no Google Trends, ferramenta do Google que apresenta estatísticas em que um termo é procurado, 19% da população brasileira procurou por QR Code em 2015. Ano passado, no mesmo período, apenas metade da população tinha algum conhecimento sobre.

O movimento de popularização de serviços financeiros digitais, porém, ganha um reforço positivo com a adesão de governos estaduais. Dessa forma, mesmo que ainda incipientes, QR Codes, carteiras digitais e outras soluções levam o país a um novo patamar da economia digital, com diminuição de circulação do papel moeda, segurança de gastos e redução de fraudes.

Powered by Rock Convert

Larissa Belinazi

Estagiária na OnBoard Mobility. Estudante de engenharia apaixonada por marketing de conteúdo.

Deixe uma resposta

Fale com nossos especialistas em inovação
Conversar via WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: