PIX no transporte público: o que você precisa saber

Novo meio de pagamento entra em vigor e será uma nova forma de comprar créditos em carteiras digitais e cartões de transporte.

Dispositivo de Bilhetagem Digital em uso

O PIX é um novo meio de pagamentos criado pelo Banco Central do Brasil com o objetivo de ser mais rápido, econômico e digital que as atuais formas, em especial o dinheiro em espécie, mas também TED, DOC, boleto e cartões. 

Com o novo método, pessoas poderão transferir dinheiro 24 horas por dia 7 dias por semana em apenas 10 segundos, algo impossível nos atuais arranjos. Para a transferência, será necessário apenas ler um QR Code ou digitar uma chave de identificação do recebedor no aplicativo de preferência. 

Essa chave poderá ser o CPF, o e-mail ou telefone, diferentemente das atuais transações por TED e DOC, que exigem diversas informações como agência e conta. 

Um dos pontos mais animadores para o mercado é a diminuição drástica de preços. Se alguns bancos chegam a cobrar R$20 por um TED ou DOC, com o PIX, clientes não vão pagar nada. Apenas as próprias instituições financeiras terão um custo que, ainda assim, será baixíssimo: 10 transações custarão apenas 1 centavo.

É possível que repassam ao consumidor final esse custo, de qualquer forma, muito menos significativo do que os atuais modelos.

Entendeu a introdução do PIX? Então vamos abordar como esse novo meio poderá ser aplicado no transporte público. 

PIX e transporte público, tem a ver?

O PIX e o transporte público têm tudo a ver. Será uma grande oportunidade de diminuir a circulação de dinheiro, pois o PIX facilita a adesão de pessoas das classes CDE ao mundo financeiro digital, hoje as menos incluídas nesse meio. 

Com menos dinheiro circulando na sociedade, espera-se que menos dinheiro caia também nas mãos dos operadores de transporte. Com o PIX será mais fácil recarregar carteiras digitais, no caso dos sistemas de transporte que possuem validadores digitais, ou comprar créditos em cartões, como o Bilhete Único. 

Espera-se que o PIX ajude na inclusão financeira digital da população porque diversos aplicativos poderão oferecer transações em suas carteiras digitais, não somente bancos. Ou seja, muita gente poderá transferir e receber dinheiro em aplicativos que já possui, muitas pela primeira vez fazendo transações online. 

Pensando assim, o PIX tem tudo a ver com o transporte pois complementa as possibilidades de compra de créditos para viagens, facilitando esse processo em relação à ida a postos físicos, principal forma de recarga de cartões de transporte hoje. 

O PIX substituirá o cartão de transporte? 

A resposta é não! O PIX não é ideal para as transações dentro do ônibus, pois, como dissemos acima, ele pode demorar 10 segundos para autorizar uma transação, tempo demais para um embarque que precisa ser cada vez mais rápido. Outro fator é que o usuário precisa estar conectado na hora de passar na catraca. 

O ideal é que o PIX seja usado como forma de recarregar carteiras digitais, como o Bilhete Digital da ONBOARD, já preparado para essa integração. Antes mesmo de embarcar, o usuário já colocou dinheiro em sua carteira e usará na catraca o QR Code gerado pelo Bilhete Digital, sem precisar estar online. 

Dispositivo de Bilhetagem Digital (DBD) e PIX

A ONBOARD e seu sistema de bilhetagem em contas, que inclui o Dispositivo de Bilhetagem Digital (DBD), estão preparados para receber novos pagamentos por PIX, sem necessidade de novas instalações, diferentemente da maioria das bilhetagens eletrônicas tradicionais no mercado. 

Isso acontece porque a Bilhetagem Digital está baseada num poderoso backoffice que permite fazer as alterações necessárias para aceitar novos arranjos de pagamentos. Além do mais, o equipamento já conta com um leitor de QR Code, facilitando a adesão de sistemas de transporte às próprias carteiras digitais, que podem ser alimentadas via PIX e outros meios. 

É importante ressaltar aqui que o PIX vem para substituir principalmente o dinheiro, enquanto os cartões de transporte e carteiras digitais próprias permanecem relevantes como forma de relacionamento com o consumidor em sistemas de transporte. 

Assim, é uma nova forma de pagamentos que expande as possibilidades de acesso. Nada de chamar um carro quando se está sem créditos e longe de um posto de recarga! 

Todo o conceito do PIX, atrelado ao DBD e a Bilhetagem Digital da ONBOARD compõem um sistema de Account Based Ticketing (ABT). Com essa tecnologia aplicada, os custos relativos à operação com pontos físicos, recarga por cartão de crédito, bandeiras e máquinas de cartão é drasticamente diminuído. 

Tem mais dúvidas sobre o PIX? A equipe da ONBOARD está disponível para conversa. Basta enviar uma mensagem pelo WhatsApp aqui.

Powered by Rock Convert
 

Antonia Moreira

Editora de Redação do Agora é Simples. Analista de Marketing na OnBoard Mobility. Mobilidade é uma de minhas paixões, compartilho aqui os melhores insights que encontro sobre o assunto. Me escreva: antonia@onboardmobility.com

Deixe uma resposta

Fale com nossos especialistas em inovação
Conversar via WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: